Ficha limpa: cidades têm novos prefeitos

 

OUTROS RESULTADOS

Camamu (BA)

Emiliana de Zequinha (PP) – 7.677 votos (48,55% dos votos válidos). Eleita

Luizinho (PSB) – 6.462 (40,87%)

Professora Noélia (PRP) – 1.673 (10,58%)

Novo Hamburgo (RS)

Lauerman (PT) – 70.521 (55,84%). Eleito

Paulo Kopschina (PMDB) – 55.781 (44,16%)

Eugênio de Castro (RS)

Daltro (PSDB) – 1.214 (53,53%). Eleito

Sirlei (PP) – 1.054 (46,47%)


Erechim (RS) Sem informações no sistema do TSE


Balneário Rincão (SC)

Deco Góes (PT) – 4.286 (52,52%). Eleito

Jairo (PMDB) – 3.875 (47,48%)

Criciúma (SC)

Márcio Burigo (PP) – 76.748 (72,27%). Eleito

Ronaldo Benedet (PMDB) – 12.629 (11,89%)

Fábio Brezola (PT) – 10.895 (10,26%)

Tangará (SC)

Cruz (PSD) – 3.110 (52,29%). Eleito

Girlene (PMDB) – 2.838 (47,71%)

Campo Erê (SC)

Rudimar (PT) – 3.221 votos (55,98%). Eleito

Ita da Farmácia (PSD) – 2.533 (44,02%)

Bonito (MS)

Leleco (PTdoB) – 5.817 (50,47%). Eleito

Odilson Soares (PSDB) – 5.709 (49,53%)

Sidrolândia (MS)

Ari (PSDB) – 12.936 (57,47%). Eleito

Acelino (PMDB) – 9.574 (42,53%)

Mais eleições

 

Ao final da disputa municipal do ano passado, quase 90 cidades estavam sob risco de terem novas eleições, conforme levantamento do Congresso em Foco. Segundo o TSE, ainda serão realizadas mais 14 eleições, ainda sem data marcada, e podem ser agendadas outros pleitos suplementares.

 

 

 
Basicamente, a lei da ficha limpa impede de concorrer a uma eleição qualquer pessoa acusada de um crime grave que tenha sido condenada por mais de um juiz. A lei foi publicada em 2010, mas todos os seus efeitos só foram sentidos pela primeira vez nas eleições municipais do ano passado.
 
Fonte: Congresso em Foco

 

Deixe uma resposta