Atos públicos marcam o dia nacional de luta pela reforma política

O dia 12 de Agosto foi escolhido para representar em todo país a juventude que saiu às ruas em junho de 2013. Com suas reivindicações e sonhos nas manifestações encontraram um grande obstáculo: as organizações do sistema político herdadas da ditadura militar.   Instituições e estruturas arcáicas que não dialogam com o espaço tempo da geração., assim como são o Congresso e Senado Nacional, mostrando que há um fosse imenso entre seus representantes e representados.

“Esse é o momento de divulgar o Plebiscito Constituinte é fundamental para que as pessoas que ainda não conhecem a campanha, que está movimentando todo o país, conheçam e se convençam da necessidade urgente que temos de mudar o sistema político brasileiro”, enfatizou Lucas, da Secretaria Nacional do Plebiscito pela Constituinte.

 Durante os atos e panfletagens, os representantes dos movimentos conversaram com os transeuntes, explicando a importância da campanha. “Precisamos melhorar, fazer algo para que os políticos sejam obrigados a cumprirem o que prometem. Se for para fazer isso, vou participar dessa campanha”, ressaltou Everton Fernando, morador de Itaquera e ambulante.   Comitê ParisMas as mobilizações não ficaram somente no Brasil. O comitê da campanha, junto à brasileiros residentes na França, engajados na luta por justiça social, realizaram panfletagens em frente ao Consulado Geral do Brasil em Paris e na Casa do Brasil na França (Maison du Brésil), na Cidade Internacional Universitária.

Os atos fazem parte da campanha para chamar atenção para o assunto e motivar a participação no plebiscito popular, que visa coletar 10 milhões de votos entre 1 à 7 de Setembro, com o objetivo de pressionar o governo sobre necessidade de uma reforma política. A pauta da Constituinte foi proposta pela presidenta Dilma Rousseff (PT) logo após as jornadas de junho do ano passado, mas o tema perdeu força na agenda político-partidário. Então, desde agosto de 2013, mais de 370 organizações, movimentos sociais, centrais sindicais e partidos políticos trabalham pela construção da campanha. Atualmente, já foram criados cerca de 1mil comitês populares em todo o Brasil.

Deixe uma resposta