Dilma condena ataque à UNE e questiona ação em sindicato

 

A presidenta Dilma Rousseff lançou uma nota nesse domingo condenando o ataque a sede da UNE, a União Nacional dos Estudantes, e pedindo ao Governo de São Paulo que investigue a motivação dos policiais militares que interromperam uma reunião do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em Diadema, na grande São Paulo.

 

Uma plenária em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ocorria na última sexta-feira quando foi interrompida pela PM.

 

Em nota, a Secretaria de Segurança de São Paulo negou que a polícia tenha intimidado os sindicalistas e ressaltou que foram até o local porque haviam sido informados de que teria uma passeata.

 

Sobre as pichações feitas na sede da UNE, em São Paulo, Dilma disse que é intolerável a violência contra a entidade estudantil e que foi um ato de intimidação e uma afronta à democracia.

 

A presidenta da UNE, Carina Vitral, relacionou o ato à ditadura e disse que a instituição não vai se intimidar.

 

A UNE vai pedir à polícia que investigue o ataque.

Deixe uma resposta

Fechar Menu