STF autoriza quebra do sigilo bancário de Eduardo Cunha

 

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra dos sigilos bancário e fiscal do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sua esposa, Cláudia Cruz, e sua filha, Danielle Dytz da Cunha, além de pelo menos três empresas ligadas à família. Zavascki é relator da Operação Lava Jato no STF e atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

 

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o período de análise será entre 2005 e 2014. Cunha e seus familiares estão sendo investigados pelo Supremo por supostas contas secretas no exterior, abastecidas com recursos de desvios de dinheiro da Petrobras.

 

A intenção da quebra de sigilo é obter detalhes da movimentação financeira do deputado e do possível uso irregular de empresas como Jesus.com, C3 Produções e Rádio Satélite, que atuam na área de Comunicação. Investigadores apontam que as contas mantidas em um banco suíço teriam repassado dinheiro para uma das companhias.

Deixe uma resposta

Fechar Menu