Por unanimidade, ministros decidem pela validade do sistema na UnB

 

Necessidade

Em declaração à imprensa, a ministra Cármen Lúcia afirmou que “As ações afirmativas não são as melhores opções. A melhor opção é ter uma sociedade na qual todo mundo seja livre par ser o que quiser. Isso é uma etapa, um processo, uma necessidade em uma sociedade onde isso não aconteceu naturalmente.”

Apesar do voto a favor, Gilmar Mendes fez ressalvas sobre o modelo adotado na UnB, o foco da ação do DEM. Para Mendes, é necessária uma revisão do modelo ou corre-se o risco dele se tornar inconstitucional.

A Corte do STF foi assistida por várias entidades civis de defesa de direitos humanos, incluindo Cimi, Funai e Movimento Negro, entre outros. As entidades acompanharam a votação como “amigos da corte”.

Índios

Durante o julgamento, dois índios foram expulsos do plenário ao criticarem o fato de só o sistema de cotas para negros estar em julgamento. Araju Sepeti Guarani e Carlos Pankararu fora retirados a força por segurança.

A decisão do STF foi comemorada pelas entidades. De acordo com o fundador e coordenador do Educafro, frei Davi, a entidade agora vai buscar fundamentação jurídica para pressionar instituições de ensino. “É impossível fazer política pública sem considerar a especificidade do povo negro”, disse.

 

 

Fonte: Caros Amigos

Deixe uma resposta

Fechar Menu