Tam.Texto

Documentário retrata a ocupação secundarista nas escolas do Brasil


Add this to your website

Por NAIARA ALBUQUERQUE, da Revista Galileu

Com uma ideia na cabeça e uma câmera na mão. Foi assim que Eliza Capai começou a produzir seu novo documentário ‘Espero tua Re(volta)’, uma das cinco produções brasileiras selecionada para a 69ª edição do Festival de Berlim, com início em 7 de fevereiro e com estreia dia 9. O filme deve chegar ao Brasil no segundo semestre de 2019.

O filme de Eliza transita por muitos momentos da história política brasileira. Com imagens de arquivo, o longa mostra momentos marcantes de nossa história política recente. Manifestações contra o aumento da passagem, ainda em 2013, passando pela reeleição e impeachment de Dilma Rousseff, em 2014 e 2016, respectivamente, até a eleição do presidente Jair Bolsonaro, em 2018.

Além desse pano de fundo, a documentarista decide mostrar a movimentação dos secundaristas, desde 2015, a partir da vida de três personagens: Marcela Jesus, Lucas “Koka” e Nayara Souza.

Questões LGBT, de raça e gênero são levantadas pelos três personagens. A escolha não foi nada aleatória, conta Capai. “Eu entendi que a representatividade era uma questão central para o filme. Na ocupação da Alesp, por exemplo, quando eles [os estudantes]tiveram que sair do prédio, decidiram eleger uma menina negra para para ler o jogral em uma coletiva de imprensa e isso não foi por acaso”, conta.

A ideia, como explica Capai, é mostrar a movimentação de uma geração que nasceu em um país democrático. “Nós vemos no filme meninos que cresceram em um momento que o Brasil crescia. Foi assim que essa molecada teve contato com a nossa democracia, a partir de políticas públicas focadas na inserção social, como as Cotas, o Prouni e o Bolsa Família”, diz.