Tam.Texto

Intelectuais, artistas, economistas e jornalistas exigem eleições irrestritas em 2018


Add this to your website

Intelectuais, artistas, economistas, advogados, jornalistas e sociólogos que compõem o projeto Brasil Nação lançaram, nesta quinta-feira (5), um manifesto em defesa de eleição direta e irrestrita em 2018.

"A democracia brasileira está em perigo. Para completar o golpe parlamentar, os atuais detentores do poder discutem a ideia de costurar um remendo parlamentarista ou adiar a eleição presidencial de 2018. Há tentativas de impedir a plena representação das camadas populares. Tudo isso é inaceitável", diz o texto.

O lançamento do manifesto, realizado no Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Paulo, contou com a presença dos ex-ministros Luiz Carlos Bresser-Pereira (da Administração e Reforma do Estado e Ciência e Tecnologia, no governo FHC) e Celso Amorim (da Defesa e Relações Exteriores, nos governos Dilma Rousseff e Lula, respectivamente) e do historiador Luiz Felipe de Alencastro.

O manifesto critica a discussão em torno do parlamentarismo ou do adiamento da eleição presidencial de 2018.

Em sua exposição, Bresser-Pereira pontuou que a democracia no país sofreu "um arranhão muito grande" e que falar em parlamentarismo, neste contexto, seria “impensável”, "non sense". Segundo ele, toda essa discussão gira em torno do boicote à candidatura do ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva.

Ele ressaltou que a petição não visa defender Lula, especificamente, mas a democracia: “Já que ela, de alguma forma, empodera o povo é que é preciso defendê-la. Nós sabemos que o capitalismo financeiro-rentista não é democrático. Ele não quer instalar a ditadura porque sabe que é muito perigoso, mas tem muito medo da democracia. Então, ele procura neutralizar de todas as formas o poder popular".

Já o ex-ministro Celso Amorim citou as eleições de 2018 como um momento de esperança para reverter o golpe: “A eleição presidencial é a oportunidade para o povo se manifestar, escolhendo o líder que encarna as suas ideias, seus programas, e quem ele tem confiança”.

O Projeto Brasil Nação angaria apoios pela internet. O primeiro documento, focado cinco pontos econômicos como alternativas à crise, atingiu 11 mil assinaturas.

Edição: Vanessa Martina Silva