Tam.Texto

RELATOR DA REFORMA É ACUSADO DE COMPRA DE VOTO

Ação contra o deputado Marcelo Castro (PMDB-PI), decorrente de uma busca e apreensão autorizada pela Justiça na casa de um ex-prefeito de Conceição do Canindé, pede a cassação de seu mandato e a aplicação de multa; parlamentar também responde por supostas irregularidades na prestação de contas de sua campanha; ele foi designado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para ser o relator da reforma política


Designado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para ser o relator da reforma política, o deputado Marcelo Castro (PMDB-PI) é alvo de acusação do Ministério Público Eleitoral por compra de voto.

A ação, decorrente de uma busca e apreensão autorizada pela Justiça na casa de um ex-prefeito de Conceição do Canindé, pede a cassação de seu mandato e a aplicação de multa. Além disso, o parlamentar responde por supostas irregularidades na prestação de contas de sua campanha.

A reforma política foi a primeira medida colocada em pauta por Cunha após sua eleição na Câmara. Ele criou uma comissão especial para elaborar propostas de mudança no sistema político e eleitoral brasileiro.