Tam.Texto

Entidades pressionam o Congresso Nacional pela Reforma Política

Ano inicia com uma agenda extensa de várias redes que lutam pela reforma do sistema político no país. Nesta quarta-feira, 4/2, a mobilização ocorreu com ato no Congresso Nacional.

Entidades que lutam pela reforma do sistema político brasileiro iniciam o ano com uma agenda extensa. Nesta quarta-feira, 4/2, a campanha pelo Plebiscito para a Constituinte Exclusiva e Soberana sobre o Sistema Político realizou o seu segundo ato público nacional de 2015, no auditório Nereu Ramos, no Congresso Nacional. O primeiro foi durante a posse da presidenta Dilma Rousseff, em 1º de janeiro.

O principal objetivo tanto da campanha do Plebiscito para a Constituinte, quanto de redes como a da Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas e a da Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político é pressionar o Congresso Nacional. No entanto, o desafio dos movimentos sociais será muito grande, visto que o Congresso está sendo considerado o mais conservador da história. Confira aqui artigo sobre o tema

O ato desta quarta-feira visou mobilizar os parlamentares pela votação do Projeto de Decreto Legislativo (PDL) nº 1508/2014, que propõe Plebiscito Oficial com a mesma pergunta do Plebiscito Popular realizado no ano passado: você é favor de uma Assembleia Nacional Constituinte Exclusiva e Soberana sobre o Sistema Político?

O PDL conta com a assinatura de 181 deputadas e deputados federais da legislatura passada, ou seja, aqueles que cumpriram mandato até o fim de 2014. A campanha foi iniciada no ano passado e tomou força com a realização do Plebiscito Popular contando com a mobilização e participação de 8 milhões brasileiras (os) e mais de 500 instituições de todas as regiões do país. Agora a campanha continua, dessa vez por um Plebiscito Oficial.

"É instrumento da democracia direta que deveria estar na mão do povo, e não está. Está na mão do parlamento. Nós precisamos que o Congresso convoque um plebiscito oficial com a mesma pergunta do plebiscito popular, realizado no ano passado", explicou à Rádio Brasil Atual Jose Antônio Moroni, membro do colegiado de gestão do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), uma das mais de 500 entidades que apoiam a campanha. A pergunta feita foi "Você é a favor de uma constituinte exclusiva e soberana sobre o sistema político?" Ouça a entrevista completa da Rádio Brasil Atual:

Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas

Outra rede de organizações que prepara mobilizações é a campanha da Coalizão pela Reforma Política Democrática e Eleições Limpas. Dos dias 2 a 8 de março será realizada uma semana de coleta de assinaturas para o Projeto de Iniciativa Popular e reforça o debate entre senadores e deputados federais pela adesão à proposta.